Sexta-feira, 12/04/2019 

"VÍTIMA DE MAUS TRATOS" PRESO QUE APARECE EM VÍDEO QUE CAUSOU PRISÃO DE POLICIAIS NO PIAUÍ, É LIBERADO APÓS AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA 

Extraído do Parnaíbaponto.com 

O homem que aparece em vídeo sendo espancado por dois policiais dentro de delegacia foi solto durante audiência de custódia, na tarde desta quinta-feira, 11. Edcarlos Alves da Silva estava preso pelo furto de uma moto em Piripiri, Norte do Piauí. O Ministério Público e a Polícia Militar instauraram inquéritos para apurar o caso.

Segundo o promotor Marcelo de Jesus Monteiro, da comarca de Piripiri, o juiz não homologou a prisão em flagrante por entender que a prisão está viciada, porque serviram como testemunha do auto de prisão em flagrante dos policiais militares da guarnição que o espancaram.

"Considerando a alegação de maus tratos sofrido pelo autuado, tome a secretaria as providências necessárias, em especial, que seja oficiada a Delegacia de Proteção aos Direitos Humanos, a Corregedoria da Polícia Militar, a Polícia Civil, o Ministério Público, o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário, Corregedoria Geral de Justiça e o Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura, com a devida extração de cópias da mídia a fim de serem encaminhadas aos referidos órgãos, para a apuração de eventuais abusos ocorridos no momento da prisão", decidiu o juiz de direito titular da 1ª Vara da Comarca de Piripiri, Antônio Oliveira.

Os dois policiais militares envolvidos no caso foram presos ainda nessa quarta-feira, 10. Eles prestaram depoimento na Corregedoria da Polícia Militar e devem ser ouvidos pelo MP sexta-feira, 12.

O G1 teve acesso ao exame de corpo de delito de Edcarlos Alves da Silva, que comprova diversas lesões no suspeito. Durante a audiência, Edicarlos contou que levou choques dos policiais, segundo o promotor.

No Boletim de Ocorrência registrado, o proprietário da moto relata que deixou o veículo na frente do Batalhão da Polícia Militar de Piripiri, enquanto jogava futebol. Ao retornar, ela tinha sido furtada e informou os policiais, que já estavam em busca de uma outra moto roubada no mesmo local e foi encontrada abonada na frente da casa do acusado.

Ainda conforme o boletim, os policiais encontraram o acusado e que o mesmo os levou para buscar a segunda moto furtada, que estava escondida próximo também da casa dele. A guarnição encaminharam o veículo e o acusado até a delegacia.

Vídeo mostra policiais militares agredindo homem preso em delegacia.

No vídeo, gravado dentro da Delegacia de Polícia Civil de Piripiri, dois policiais militares agridem um homem que está sentado entre os dois, com as mãos algemadas nas costas. Os policiais desferem tapas no rosto do homem, enquanto ele implora que parem.

De acordo com o promotor Assuero Stevenson, a análise breve das imagens aponta para a possibilidade de um crime militar, mas explica que ainda é cedo para determinar a quais crimes os policiais devem responder.

“Vamos esperar que o Inquérito Policial Militar seja concluído e remetido a promotoria para que possamos oferecer a denúncia”, disse. Com informações do G1 Piauí 


Quinta-feira, 11/04/2019 

COMANDO DA PM-PI DETERMINA PRISÃO DE POLICIAIS MILITARES ACUSADOS DE TORTURAR PRESO EM DELEGACIA DE PIRIPIRI 

Foto: Montagem / Fala Piauí

Do Fala piauí 

O Comando da Polícia Militar determinou, nesta quinta-feira, a prisão administrativa de dois policiais militares acusados de tortura no Piauí. O Comandante Geral ao  tomar conhecimento do vídeo determinou ao Comandante do 12 Batalhão em Piripiri,  que apresentem os Policiais Militares na Corregedoria, Instauração do Inquérito Policial Militar, bem como decretou a prisão administrativa dos Policiais envolvidos no fato. 

Entenda o caso

Um vídeo que está sendo compartilhado em grupos de WhatsApp mostra dois policiais batendo no rosto de um rapaz, que se encontra imobilizado, de mãos atadas. Nas imagens é possível ver as agressões e tortura contra um detento. O fato ocorreu na delegacia de Piripiri. 

NOTA  - Polícia Militar do Piauí

A Diretoria de Comunicação Social da Polícia Militar do Piauí informa que o Comandante Geral ao  tomar conhecimento do vídeo determinou ao Comandante do 12 Batalhão em Piripiri,  que apresentem os Policiais Militares na Corregedoria, Instauração do Inquérito Policial Militar, bem como decretou a prisão administrativa dos Policiais envolvidos no fato. 

Teresina, 11 de abril de 2019.

Elza Rodrigues Ferreira - TC Diretora de Comunicação Social da PMPI.

Veja o vídeo: 

 


Quarta-feira, 03/04/2019 

STF DECIDE NESTA QUARTA-FEIRA SE AMANTE TEM DIREITO A PENSÃO POR MORTE 

Caso o plenário seja favorável, até mesmo as contas da Previdência Social sofrerão consequências. É que, caso uma das beneficiárias morra, a pensão não se encerraria por conta da outra, se prolongando por mais tempo


Do Meio Norte 

Nesta quarta-feira (03), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se amante terá o direito a parte de pensão por morte. O julgamento com repercussão geral — porque o tema apresenta questões relevantes que ultrapassam os interesses subjetivos da causa — pode impactar outros casos, servindo como orientação para os demais tribunais do país.

Existe uma grande divergência de opiniões sobre o assunto. Os membros do Senado deverão fazer a análise com base no princípio constitucional da pessoa humana, sem discriminação por quaisquer razões. O Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP) e a Associação de Direito da Família e das Sucessões (ADFAS) participarão como partes interessadas. A tramitação ocorre em segredo de Justiça.

A ação (RE 1045273), que teve origem em Sergipe, envolve o reconhecimento de uma união estável e, ao mesmo tempo, de uma extraconjugal homoafetiva. Segundo advogados, a decisão também vai servir de orientação para relações entre pessoas de sexos diferentes. O relator do caso é o ministro Alexandre de Moraes.

Caso o plenário seja favorável, até mesmo as contas da Previdência Social sofrerão consequências. É que, caso uma das beneficiárias morra, a pensão não se encerraria por conta da outra, se prolongando por mais tempo.

De acordo com a advogada especialista em Direito Previdenciário, Denise Rocha, os critérios a serem avaliados são: duração do relacionamento, intenção de permanecer nesse e a existência de afeto.

— Cerca de 30 anos atrás, muitas viúvas só descobriam que o falecido marido tinha uma amante após verem a pensão reduzir, de uma hora para outra, após o pedido de reconhecimento ao INSS da outra mulher — conta.

Hoje, o adultério não é mais uma questão criminal, apenas moral porque envolve vergonha para quem está sendo enganado, segundo Denise. Mesmo que seja uma relação velada, se houver provas como fotografias de aniversários, datas comemorativas como natal, ano novo, que mostrem que as pessoas estão em uma união há mais de cinco anos; ou ainda comprovantes de residência com o mesmo endereço, imóvel comprado junto, é possível caracterizar como uma união estável, embora seja uma relação concomitante ao casamento.

Reprodução

Em 2008, o Supremo enfrentou caso semelhante (RE 397762): uma mulher que foi amante por 37 anos e pediu direito à pensão do falecido. A 1ª Turma decidiu, por maioria, que não poderia haver a divisão da pensão entre a amante e a esposa.

Dos ministros que julgaram esse caso, três — Marco Aurélio, o relator, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia — ainda estão no STF e todos votaram contra a divisão do benefício. Carlos Ayres Britto, que foi favorável, já está aposentado.


Sexta-feira, 29/03/2019 

TEMER VIRA RÉU NO CASO DE EX-ASSESSOR FLAGRADO COM MALA DE R$ 500 MIL DA JBS

Justiça Federal acolheu denúncia de corrupção passiva apresentada pelo MP, que acusa Temer de ser destinatário do dinheiro. Para advogado, acusação é 'desprovida de qualquer fundamento'


Do G1 

O juiz da 15ª Vara da da Justiça Federal em Brasília , Rodrigo Bentemuller, acolheu denúncia do Ministério Público e com isso o ex-presidente Michel Temer se tornou réu por corrupção passiva no caso da mala de R$ 500 mil da JBS.

Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor de Temer, já é réu no mesmo processo, por ter recebido a mala do ex-executivo da J&F Ricardo Saud. Para o MP, os R$ 500 mil eram propina, e Temer era o destinatário do dinheiro. O ex-presidente sempre negou.

O advogado Eduardo Carnelós, da defesa de Temer, afirmou em nota que a acusação é "desprovida de qualquer fundamento, constituindo aventura acusatória que haverá de ter vida curta, pois, repita-se, não tem amparo em prova lícita nem na lógica" (leia a íntegra da nota ao final desta reportagem).

O juiz atendeu ao pedido do Ministério Público Federal em Brasília. O procurador Carlos Henrique Martins Lima havia ratificado a denúncia contra Temer e solicitado que ele passasse a responder a uma ação penal.

Na decisão, à qual a TV Globo teve acesso, o juiz afirma : “Verifico que há substrato probatório mínimo que sustenta a inicial acusatória, existindo, portanto, justa causa para a deflagração da ação penal”.

De acordo com o magistrado, a acusação contém uma "narrativa coerente de eventos sequenciais que teriam resultado no recebimento por Rodrigo Rocha Loures, pessoalmente a mando de Michel Temer, de vantagem indevida no valor de 500 mil ofertada por Joesley Batista".

Em 2017, quando ainda estava no mandato, Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) no caso em que Rodrigo Rocha Loures, então assessor especial da Presidência, foi flagrado pela Polícia Federal recebendo de um integrante da J&F uma mala com R$ 500 mil.

Segundo a denúncia, o dinheiro era propina da empresa para o grupo político de Temer. Desde que as investigações começaram, o ex-presidente e a defesa dele têm negado envolvimento com irregularidades e afirmado que o dinheiro não era para ele.

Quando a PGR denunciou Temer, a Câmara analisou o caso – conforme prevê a Constituição – e rejeitou o prosseguimento do processo para o Supremo Tribunal Federal.

Com a decisão, a denúncia ficou parada na Justiça, à espera do término do mandato de Temer, que implicaria o fim do direito dele ao foro privilegiado, pelo qual ele só podia responder a processo no STF. Depois que Temer deixou a Presidência, o caso foi transferido para a Justiça Federal de Brasília.

Nota da defesa de Temer

Leia abaixo a íntegra de nota divulgada pela defesa do ex-presidente Michel Temer.

A denúncia que imputa a prática de crime ao ex-presidente Temer pelos fatos relacionados ao recebimento de mala contendo dinheiro pelo ex-deputado Rodrigo Rocha Loures é a primeira acusação formulada pelo ex-Procurador-Geral da República, depois da deflagração, em maio de 2017, da sórdida operação com a qual se pretendeu depor o então presidente da República.

Como tudo que nasceu daquela operação ilegal e imoral, essa imputação também é desprovida de qualquer fundamento, constituindo aventura acusatória que haverá de ter vida curta, pois, repita-se, não tem amparo em prova lícita nem na lógica.

Eduardo Carnelós


Domingo, 17/03/2019 

JESUS SE CASOU COM MARIA MADALENA E ELES TIVERAM UMA FILHA, AFIRMAM ESTUDOS DE HARVARD

De acordo com estudos de alguns cientistas de Harvard, eles encontraram evidências mostrando que estes são alguns papiros escritos nas palavras de Jesus: “Minha esposa …”, pertence a uma declaração feita por Cristo sobre ser casado e ter filhos. Jesus se casou com Maria Madalena e eles tiveram uma filha

Má interpretação da palavra deu origem a tais estudos parte errada desses “especialistas” que fizeram pública através da revista teológica Harvard, em seguida, tornou-se este reações publicação em breve estar presente denunciando um suposta falsificação das palavras do papiro em questão.
Jesus se casou com Maria Madalena e eles tiveram uma filha
Mas os pesquisadores, junto com uma equipe de especialistas das Universidades de Columbia e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, insistem em ter analisado cada parte do fragmento e verificado a autenticidade do manuscrito.

No entanto, a principal autora do estudo, Karen King, também professora de teologia em Harvard, diz que o papiro não pode provar se Jesus realmente teve uma esposa; O manuscrito é menor do que um cartão de crédito e vem do Egito, que foi escrito em copta durante o último estágio do idioma antes do início da era imperial romana.

Mas estes especialistas têm afirmado que Jesus se casou com Maria Madalena e que a união tiveram uma filha, que provavelmente teve muita ressonância na Idade Média, no sul da França, onde Marta, Lázaro de Betânia e Maria Madalena chegou do exílio, e que este último já estava grávido e poderia imaginar um mito sobre a paternidade de Jesus com relação ao estado de gravidez mencionado anteriormente.

Há tempos, obras que apontam Jesus e Maria Madalena como um casal espocam pelo mundo. No Evangelho de Filipe, do século III um texto apócrifo, que não é legitimado pela Igreja Católica, relata um beijo do Nazareno na apóstola. Em 1953, o livro a “A Última Tentação de Cristo” fala do casamento entre eles. Em 2012, uma respeitada historiadora de Harvard revelou o Evangelho da Esposa de Jesus, também apócrifo, um fragmento de papiro do século IV escrito em copta – um idioma egípcio, que falava da “esposa de Jesus”. Nenhum deles, porém, fez tanto sucesso quanto “O Código da Vinci”, de Dan Brown, de 2003. Adaptado para o cinema, o best seller que vendeu 80 milhões de cópias no mundo também aponta para o casamento de Cristo.

Extraído da página De Olho News 


Quarta-feira, 06/02/2019 

PAPA ADMITE QUE PADRES E BISPOS ABUSARAM SEXUALMENTE DE FREIRAS

Pontífice disse que é possível encontrar registros desses abusos "em todas as partes", mas estão mais presentes em "algumas congregações novas e em algumas regiões".


Do G1 

O Papa Francisco admitiu, nesta terça-feira (5), que padres e bispos abusaram sexualmente de freiras. A declaração foi dada no avião de volta à Itália, após viagem aos Emirados Árabes Unidos.

Papa Francisco recebe presente de um jornalista durante uma sessão de perguntas após sua visita a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos

"Houve padres e também bispos que fizeram isso", reconheceu o sumo pontífice, que nunca havia abordado este assunto antes, ao ser questionado por uma jornalista.

Ele disse que é possível encontrar registros desses abusos "em todas as partes", mas estão mais presentes em "algumas congregações novas e em algumas regiões".

"Estivemos trabalhando por muito tempo sobre este assunto. Suspendemos vários clérigos, que foram despedidos por esta causa", afirmou Francisco, sem mencionar nomes, nem países.

"Não sei se o processo (canônico) terminou, mas também dissolvemos algumas congregações femininas que estiveram muito vinculadas a essa corrupção", acrescentou, destacando que a Igreja não pode se refugiar na negação.

"Temos que fazer algo mais? Sim. Temos a vontade de fazê-lo? Sim!", afirmou o sumo pontífice.



Domingo, 03/02/2019 

DEPUTADO DE GOIÁS TOMA POSSE DE CHAPÉU E COM ESPOSA NO COLO


Blog da Cidadania 

O deputado estadual Amauri Ribeiro (PRP-GO), chamou a atenção durante a solenidade de posse na última nesta sexta-feira (1º), na Assembleia Legislativa de Goiás.

Mesmo contrariando o regimento interno, o novo parlamentar, eleito com quase 25 mil votos, tomou posse de chapéu e colocou a esposa no colo durante a sessão.

Sobre a utilização do adereço, a direção da Assembleia informou que enviou aos novos parlamentares na semana passada um documento intitulado “Informações Regimentais”, com orientações sobre todas as regras. Nesta sexta, a equipe do cerimonial preferiu não falar com o deputado por se tratar de sessão especial. Amauri só tirou o chapéu no momento da execução do Hino Nacional.

Em entrevista à TV Assembleia, Amauri disse que o uso do chapéu mostra seu estilo: “Meu estilo já fala: sou produtor rural e vou defender a classe”.

Amauri ganhou notoriedade após ser eleito prefeito de Piracanjuba e fazer uma gestão técnica e com excelente aprovação popular sem abrir mão do jeito durão. Ele não foge de uma polêmica, tem fama de brigão, mas é também reconhecido – até por adversários – como político idôneo.

“Meu lema é: podem me chamar de brigão, por buscar o correto, mas nunca me chamarão de ladrão”, resume seu estilo de vida tanto na política como na vida.



Quarta-feira, 30/01/2019 

HOMEM É PRESO POR SE MASTURBAR EM PÚBLICO EM TERESINA/PI 

Moradores do bairro São Pedro, zona Sul da cidade, ainda o acusaram de danos a bens privados.

Do Portal R10 

Um homem identificado como David Santos, foi preso na noite de terça-feira (29), acusado por populares de atentado ao pudor e danos ao patrimônio privado, no bairro São Pedro, zona Sul de Teresina.

Foto: Reprodução

Segundo a delegada Vilma Alves, titular da delegacia da mulher, o suspeito aterrorizava a população local, praticava atos libidinosos como masturbação em público, além de se dirigir às mulheres com palavras de baixo calão.

“Esse rapaz está causando pânico em todo o conjunto, fica nu, se masturbando, xingando as mulheres, provocando os moradores da região, quebrando os veículos das pessoas e jogando pedras no portão das casas”, disse a delegada.

Após ser detido, o acusado foi conduzido pelos policiais até a Central de Flagrantes de Teresina, onde foi autuado pelos crimes.


Sexta-feira, 25/01/2019 

JEAN WYLLYS DESISTE DE TOMAR POSSE PARA NOVO MANDATO E RELATA AMEAÇAS 

Jean Wyllys foi reeleito para terceiro mandato e cerimônia de posse dos deputados está marcada para 1º de fevereiro. Secretaria da Câmara informou que suplente é David Miranda (PSOL-RJ).

Do G1 

A assessoria do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) informou nesta quinta-feira (24) que o parlamentar não tomará posse para o novo mandato.

Ao G1, a assessoria de Jean Wyllys informou que ele tem recebido ameaças e, por isso, decidiu não assumir o terceiro mandato parlamentar. A posse dos deputados federais eleitos está marcada para 1º de fevereiro. Jean Wyllys recebeu 24.295 votos na eleição de outubro.

Em uma rede social, Jean Wyllys publicou nesta quarta: "Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores. Fizemos muito pelo bem comum. E faremos muito mais quando chegar o novo tempo, não importa que façamos por outros meios! Obrigado a todas e todos vocês, de todo coração. Axé!"

Homossexual assumido, Jean Wyllys tinha como principais bandeiras pautas relacionadas às causas LGBT e para minorias.

De acordo com a Secretaria-Geral da Câmara, o suplente de Jean Wyllys é o vereador carioca David Miranda (PSOL-RJ).

Mais cedo, nesta quinta, Jean Wyllys concedeu entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo" na qual informou que está no exterior e não pretende voltar ao Brasil. Na entrevista, o deputado diz que tem sofrido ameaças de morte.

"O [ex-presidente do Uruguai] Pepe Mujica, quando soube que eu estava ameaçado de morte, falou para mim: 'Rapaz, se cuide. Os mártires não são heróis'. E é isso: eu não quero me sacrificar", disse Jean Wyllys à "Folha".

Ainda ao jornal, Jean Wyllys disse que o PSOL, partido ao qual é filiado, reconhece que ele se tornou um "alvo" e apoiou a decisão dele de não retornar ao Brasil.

Ao G1, a assessoria de Jean Wyllys afirmou que há uma campanha "muito pesada" contra o deputado, que dissemina conteúdo falso sobre ele na internet o associando, por exemplo, à pedofilia, ao casamento de adultos com crianças e à mudança de sexo de crianças.


Marielle Franco (PSOL-RJ), vereadora assassinada no Rio de Janeiro em 2018 — Foto: Reprodução/JN

Marielle Franco (PSOL-RJ), vereadora assassinada no Rio de Janeiro em 2018 — Foto: Reprodução/JN

Assassinato de Marielle

De acordo com a assessoria de Jean Wyllys, o volume de ameaças contra o deputado aumentou após o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), em março do ano passado.

Ainda segundo a assessoria, desde então, o parlamentar precisava andar de carro blindado e com escolta de seguranças armados.

"Aumentou a situação de violência, de seguidores do atual presidente [Jair Bolsonaro] que fazem todo tipo de xingamento e ameaças nas redes sociais. Isso criou uma situação cada vez mais difícil. Antes do assassinato da Marielle, ele já vinha recebendo ameaças muito pesadas, inclusive direcionadas não só a ele, mas também à família. E-mails falando endereço da mãe, endereço da irmã, da família", informou.

De acordo com a assessoria, Jean Wyllys está no exterior, mas o local não será informado por questão de segurança.

SITUAÇÃO 'MUITO GRAVE' DO PAÍS


À TV Globo, o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, afirmou que a situação do país é "muito grave".

"A situação do país é realmente muito grave, e a gente tem defendido que a resistência democrática no país é necessária. O Jean era e ainda é uma nesse processo de resistência democrática”, afirmou o presidente do PSOL. "A decisão dele é de caráter pessoal", acrescentou.

Juliano disse lamentar a decisão de Jean Wyllys porque o partido preferia que ele continuasse na bancada. Mas ressaltou que o partido compreende e se solidariza com o deputado.

Leia mais.... 

 

Quinta-feira, 24/01/2019 

FAMÍLIA BOLSONARO “COMEMORA” SAÍDA DE JEAN WYLLYS DO BRASIL

Após Jean Wyllys (PSOL) anunciar, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, que está desistindo de seu terceiro mandato e sairá do país, integrantes da família Bolsonaro utilizaram as redes sociais para ‘comemorar’ o fato.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou seu perfil no Twitter para escrever “Grande dia!”. Na sequência, poucos minutos depois, foi a vez do filho Carlos Bolsonaro (PSL) escrever “Vá com Deus e seja feliz!”.

Bolsonaro e Wyllys foram rivais políticos durante as passagens pela Câmara. O deputado do PSOL já acusou o atual presidente da República de homofobia diversas vezes e chegou a cuspir no rosto de Bolsonaro em uma ocasião.

O desentendimento entre o parlamentar do PSOL e Jair Bolsonaro vem de longa data. Na votação pelo impeachment de Dilma Rousseff, quando o então deputado federal Jair Bolsonaro dedicou seu voto a um torturador do regime militar, Jean Wyllys cuspiu em sua direção. Durante a campanha de 2018, Bolsonaro vinculou a imagem do deputado a notícias falsas sobre o “kit gay”.

Jean Wyllys vive sob escolta policial e com carro blindado desde o assassinato da vereadora Marielle Franco, em março do ano passado. Ele ressaltou que a revelação de que familiares de um ex-policial do Bope suspeito de chefiar a organização criminosa Escritório do Crime, investigada pela morte de Marielle, eram lotados no gabinete de Flávio Bolsonaro, pesou na sua decisão. Flávio, envolvido em uma série de acusações de corrupção, não se manifestou sobre a decisão de Wyllys. 

Com informações de O Dia e Isto é.

© Copyright O interligado